quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

O azar, esse impostor

Custa-me ouvir pessoas dizerem que são azaradas, que são vítimas do destino ou até marcadas por um qualquer poder oculto. No amor, então, é ainda mais comum, por norma após algumas experiências que correram mal.

Em primeiro lugar, mesmo que as pessoas não percebam isso ou o façam de forma inconsciente, esses lamentos não deixam de ser uma forma indirecta de se auto-elogiarem. Com tanta gente no mundo, que privilégios especiais gozam certas pessoas junto dos poderes ocultos ou deuses do além para serem escolhidas como alvo do azar, de pragas ou de destino?

Segundo, há claramente uma tendência para a desresponsabilização. A culpa é sempre dessas forças negativas...

Eu sou um ser frágil, que comete muitos erros, mas que, passe a presunção, nunca cometeu o mais perigoso de todos: a desresponsabilização. Porque eu sei que neste mundo nunca ninguém me fez tão mal, e continua a fazer e sempre fará, do que eu próprio.

Eu aceito que as pessoas sejam frágeis. Que cometam erros e tenham debilidades para lidarem com certo tipo de situações. Não deixo de gostar delas por isso, não deixo de as apoiar. Mas tento ser intransigente em matéria de verdade. Porque eu sou o primeiro a dizer que sou fraco. Nisto, naquilo, no que quer que seja. Porque eu sei que sofro por ser frágil e até fraco nalgumas matérias, mas sofreria muito mais se soubesse que sou mentiroso para mim mesmo. Até porque nenhuma cura se pode iniciar sem que reconheça, primeiro, ter um problema.

Quanto ao destino, aos azares ou aos deuses, deve ser a única coisa em que não deixo que metam a colher na minha vida. Quanto aos restantes, estejam à vontade.

4 comentários:

EAM disse...

Oi Jorge!

Parabéns por teres criado este espaço. Gosto muito do teu lado bem disposto que nos traz sempre um sorriso, mas, às vezes é preciso falar sério.
Não tenho aparecido, e sinto falta das minhas passagens por cá, mas o meu tmepo tem sido resumido entre uma mudança de casa e dias a acompanhar os internamentos do meu filhote no IPO. Apesar de toda confusão que tem sido a minha vida, agradeço a Deus por estar ao meu lado trazendo a força que eu preciso. Sei que Ele tem mostrado sempre a tempo aquilo que anda mal para ser "concertado" a tempo.
Um Beijinho e até um dia desses...

jorge pessoa e silva disse...

Viva Fátima


O carinho que sinto por todos vós leva-me a desejar sempre o melhor. Por isso, sei que vens quando podes e que todas as energias estão a ser gastas no que relamente é mais importante na vida. E quantas vezes nem é preciso uma pessoa aparecer para saber que contamos com o seu carinho.

Que Deus vos ilumine a todos e que, acima de tudo, vos dê a força para continuarem a ser as pessoas maravilhosas que sempre demonstraram ser.

Beijinhos e muita força da minha parte também

Miss Shag well disse...

Ainda no outro dia estava a dizer isto no twitter: as circunstâncias têm as costas largas. ;) :)

Beijos

**laura** disse...

Jorge,
li este teu texto na altura que o publicaste mas saí silenciosamente sem comentar. Porque me tocou realmente. Acho, como dizes, que nunca nos devemos desresponsabilizar. Devemos assumir com frontalidade e coragem a responsabilidade pelos nossos actos - pode doer assumir um erro, mas é bom demais conquistar um sonho, um objectivo, não é?
E, mesmo quando as coisas não correrem tão bem como desejaríamos, devemos continuar a lutar, a tentar e a dar o nosso melhor.
Gosto muito deste teu lado mais sério!
Beijinhos**